Esporte — 28 março 2013

Obras para Copa do Mundo em 2014

 Brasil continua atrasado na construção dos estádios e de outras obras importantes para eventos…

Parece brincadeira…

O governo do Distrito Federal assinou nesta semana um acordo de R$ 35 milhões com duas agências da ONU para que elas adquiram serviços e itens como barracas, geradores e câmeras de segurança para o estádio, disse um funcionário da entidade internacional à Reuters na quarta-feira.

O contrato é um dos mais claros sinais de que o Brasil está atrasado na construção dos estádios e de outras obras importantes para eventos esportivos que irá sediar. A Copa das Confederações, em junho, é um evento-teste para a Copa do Mundo, um ano depois.

A vantagem da ONU é que ela pode adquirir produtos e serviços sem passar pelos complexos e demorados processos de licitação exigidos pela lei brasileira.

Como o Estádio Nacional Mané Garrincha tem quase de 90% das suas obras já realizadas, e a Fifa espera recebê-lo em meados de abril, o fator tempo muito é crucial.

Com o curto cronograma e a necessidade de focar na conclusão do estádio, o governo do Distrito Federal não conseguiu fazer a compra a tempo por meio de licitação pública”, disse Arnaud Peral, representante-adjunto do Programa da ONU para o Desenvolvimento (PNUD) no Brasil.

Algumas das estruturas temporárias a serem adquiridas pelas agências da ONU para a Copa das Confederações – que reúne campeões continentais mais o país-sede – continuarão disponíveis para os setes jogos da Copa do Mundo a serem disputados em Brasília em 2014, segundo Peral.

Boaz Paldi, é   porta-voz do PNUD em Nova York, muito normal, disse que o acordo com o Brasil “não é inteiramente inédito”, e que o valor do contrato ainda pode aumentar.

Ele disse que o PNUD já auxiliou no passado projetos relacionados aos Jogos Pan-Americanos, e que a agência ganhará “visibilidade” no Brasil devido à sua participação.

Um porta-voz do governo do Distrito Federal disse que o governador Agnelo Queiroz (PT) tem por regra não comentar os contratos da capital.

Não é a primeira vez que o Brasil se vale da experiência de agências da ONU. No ano passado, para o evento ambiental Rio+20, o PNUD colaborou para garantir a transparência dos processos de aquisição, e também a acessibilidade para pessoas com deficiências, a sustentabilidade ambiental e a inclusão social.

A Fifa já alertou que o Brasil não pode mais ter atrasos nas obras. O novo estádio de Brasília, com 70 mil lugares, será o segundo maior da Copa de 2014. Ainda falta cobri-lo, instalar acessórios e plantar a grama.

Antes da Copa das Confederações, o estádio deve receber dois jogos: a final do Campeonato Brasiliense, em 18 de maio, e a primeira rodada do Campeonato Brasileiro, entre Santos e Flamengo, uma semana depois.

****************************************************************************************************

Esse tipo de atraso, ( O Governo não consegui fazer licitação a tempo; é isso que eles queriam !) é claramente   proposital, não há explicação alguma para tal coisa,  pois, todos sabiam que  a obra deveria ter começado antes, e merecido uma atenção especial, pela honra da nação, pois, a Copa do Mundo, é um evento singular, portanto mereceria uma melhor atenção de todos os órgãos. Nem o  cidadão mais burro acredita que isso não foi de propósito, é só ver e ler as notícias anteriores;  a ajuda da ONU não é ajuda, é um trabalho remunerado como um outro qualquer. (Né não ?)

Por//: J.Coutinho.

Notícias relacionadas:

http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2011-04-24/atraso-nas-obras-da-copa-pode-repetir-erros-do-pan-adverte-presidente-do-crea-

http://jcoutinhomaimai.com.br/faltam-menos-de-500-dias-para-a-copa-as-forcas-armadas-detalham-as-acoes-da-defesa/

Edit./J.Coutinho




Edit./J.coutinho

Compartilhar

Sobre o Autor

admin

(0) Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*



Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>