Forças Armadas Política Slideshow — 07 fevereiro 2013

mais de uma década depois; mesmo com ar de tranquilidade, a população vive apreensiva…

O governo da Rússia anunciou nesta quarta-feira que matou o último acusado de fazer um atentado ao metrô de Moscou, em 2010, em uma operação do Exército na região norte do Cáucaso, no sudoeste do país.

O militante estava foragido. Ele é suspeito de ter participado do duplo atentado que matou 40 pessoas em uma estação do metrô de Moscou.

A ação foi atribuída a rebeldes islâmicos que querem o controle das regiões do Daguestão e tentaram ocupar a Tchetchênia. Em nota, o serviço secreto russo matou Gusen Magomedov durante a madrugada na República do Daguestão, atualmente o centro da violência militante no Cáucaso russo. “Ele era o único remanescente dos envolvidos nos ataques de 2010. Uma justa retribuição apanhou o último deles.

Mais de uma década depois de restabelecer o controle federal sobre a Tchetchênia, cenário de duas guerras separatistas.

Incidentes violentos continuam acontecendo quase diariamente na região, mas insurgentes também atacam em outras partes da Rússia, e reivindicaram a autoria dos atentados de 2010 no metrô e de 2011 no mais movimentado aeroporto da Rússia, que deixou 37 mortos.

mais de uma década depois de restabelecer o controle federal sobre a Tchetchênia, cenário de duas guerras separatistas.

Incidentes violentos continuam acontecendo quase diariamente na região, mas insurgentes também atacam em outras partes da Rússia, e reivindicaram a autoria dos atentados de 2010 no metrô e de 2011 no mais movimentado aeroporto da Rússia, que deixou 37 mortos.

 

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013 20h26

folha de São Paulo –

Mid./ Edit.J.Coutinho

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013 20h26

Compartilhar

Sobre o Autor

admin

(0) Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *