Educação Slideshow — 02 agosto 2013

 

              Viagens do Almirante ( 郑和下 西洋  )  Zheng He

“Segundo historiadores, o Império chinês, e seu território terminavam onde as águas começavam”

( Por/ Yi Chan:. )

( 義成 )

Almirante Zheng He

Durante a dinastia Song (960-1279) a China detinha um poderio naval tecnologicamente avançado, capaz  de dominar quase toda a Terra, se eles por ventura tivessem esse  pensamento, era o que teria realmente acontecido.

Porém,  a China não quis se aventurar  longe de sua costa. Não  tinha interesse em trazer “bárbaros” para adquirir a sua cultura confucionista, e torná-los virtuosos budistas.

Depois que os guerreiros mongóis assumiram o comando da Armanda, se aproveitaram  da grande experiência dos seus comandantes, e programaram  não só uma,  e sim, duas invasões ao Japão;  dizem que o que aconteceu foi verídico, não são contos folclóricos, mas todas duas foram derrotadas pelo “KAMIKAZE”  Vento Divino.

kamikaze” foi inventado em referência a um episódio histórico conhecido por todos, e que acabou associado à ameaça de invasão da época.

Em junho de 1281, o imperador mongol Kublai Khan havia lançado uma nova e muito poderosa expedição contra o Japão, que se recusava a pagar-lhe tributos.

 Uma forte armada com  numerosos  navios desembarcaram 160 mil conquistadores mongóis, chineses e coreanos em Kyushu e nas ilhotas de Takashima e Hirado.

Os japoneses estavam em condições deploráveis e a situação era de pânico, quando em 15 de agosto, um terrível tufão dispersou e afundou a esquadra mongol pondo fim às  esperanças do invasor.


Kublai Khan

Essa  “intervenção” que salvou o Japão ficou na memória coletiva como “o vento dos deuses” (kamikaze). A palavra entrou no Larousse para designar indiferentemente tanto um piloto suicida, quanto o avião, mas teria, diz-se, sido preservada pelo vocabulário japonês.

Em outubro de 1944, a designação oficial era Taiatari Tokubetsu Kogekitai (a contração é Tokotai), que significa “corpo especial de ataques por choque corporal”. Falava-se, todavia, kamikaze ou shimpu.

Sabemos que depois desses fracassos que nenhum líder chinês jamais se viu tocado em levar avante alguma intervenção em território japonês. (atualmente, esperamos que cada um fique no seu quadrado)

Esquadra de Zheng He – “Convite ao Kowtow”

 

A Imponência e exuberância era tal, que não havia necessidade de fazer guerra…

A despeito de a China deixar de lado o desejo expansionista, eles nunca deixaram de se intitular com  中国人 “Zhongguo Ren “ povo do meio, porque, para os chineses o centro do mundo era onde morava o Imperador 皇帝; Huángdì  ao qual todos devia obediência.

Eles agora sabem que a China, nunca foi o centro do mundo, porém o nome continua 中国  Zhongguo (nação do central). 

Para que os países mundo afora nunca se esquecessem da grandiosidade da Nação Central 中国 Zhongguo (China); no começo da dinastia Ming (1405 e 1433) o Imperador estabeleceu uma das mais notáveis aventuras navais de que se tem notícias, sobre o comando do almirante  –  郑和 Zheng He e suas frotas de navios do tesouro. 

 Zheng He 郑和,  foi originalmente chamado Ma He e nasceu em 1371, de etnia hui, sendo o segundo filho de um família muçulmana, que também teve quatro filhas, de Kunyang (昆阳), atual Jinning (晋宁), ao sul de Kunming (昆明)  perto do canto sudoeste do Lago Tian em Yunnan 云南.

O destino da frota era tão longínquo que não há uma outra explicação se não a de mostrar uma prova de poder e intimidação aos que vissem.

Zheng He 郑和, Eunuco chinês, ele foi recrutado para o serviço imperial ainda quando era uma criança, foi treinado no palácio para carreira militar se tornando talvez um dos maiores navegadores da antiguidade; se bem que nem de longe ele tinha o perfil do navegador padrão, que é um guerreiro conquistador; se tomarmos como referência outros grandes lideres navegadores, ele jamais ficaria entre os possíveis exploradores, apesar disso, foi indiscutivelmente grande.

A frota de Zheng He 郑navegou por Java, Índia, Chifre da África  até o Estreito de Ormuz. A Exuberância tenológica da frota chinesa com seus 300 super navios com 120 m de comprimento cada,  e um total de quase 30.000 tripulantes parecia coisa que jamais uma outra nação poderia transpor; o tamanho, a sofisticação e a quantidade de marinheiros, era coisa que, dizem parecer de brinquedo as armadas espanhola e portuguesa, que só 150 anos depois iria aparecer.

A Frota Armada de Cristóvão Colombo –  Foi Comandada pelo genovês  Cristóvão Colombo que  iniciou a sua viagem na madrugada de 3 de Agosto de 1492 com 3 navios; Santa Maria Pinta e Nina, de 47 m cada, com  a tripulação de 90 /120 homens no total, segundo Las Casas e Fernando Colombo, ou  segundo Gonçalo Fernadez de Oviedo. (historiadores).

A Esquadra Armada Portuguesa de Pedro Álvares Cabral – Foi comandada pelo capitão-mor Pedro Álvares Cabral, dela fazendo parte 13 navios, que partiram de Lisboa, levando cerca de 1500 homens, no dia 9 de março de 1500.”

Hong Kong – de apenas um porto, a uma potência, devido seu ponto estratégico.

Ninguém até hoje, sabe qual foi o verdadeiro propósito dessas missões; sabe-se que a cada parada em suas viagens, proclamava formalmente a magnificência do novo imperador da China; dava luxuosos presentes para soberanos e lideres das noções visitadas; também, um convite (quase imposição) para pessoalmente irem ou enviar representante legal para lá na China, eles reconhecerem o seu devido lugar na “Ordem Mundial sino-cêntrica realizando o ato do Kowtow” admitindo a superioridade do imperador, que detêm o poder sobre tudo,  e todos devem pagar tributos.

O Imperador recebeu o  Mandato do Céu 天命 Tiānmìng  e domina tudo que existe debaixo do Céu Tianxia 天下 .

Kowtow”

Fazer o Kowtow  era o ato de ajoelhar-se diante do imperador e tocar a testa no chão por três vezes, quem não o fizesse, com certeza não se sairia bem.  

Três século depois, a Inglaterra com seu espírito colonizador, via esse negócio de submissão ao imperador chinês um desrespeito ao ao seu rei.

Mostrar fidelidade e submissão ao imperador…

Muitos anos se passaram  e para os ingleses, isso continuava um mau negócio esse tal de KOWTOW ; primeiro; seus trajes eram apertados e isso, era difícil e por demais constrangedor; os ingleses se achavam muito mais superiores aos chineses; e estavam na época das colônias.

A Inglaterra já estava muito superior, militarmente e tecnologicamente, e só faziam reverência dobrando o joelho para seus  soberanos, e isso não agradou os chineses; os ingleses não o fizeram, e por fim começou a

 “Guerra do Ópio”.

 

Em seguida, armada inglesa com navios a vapor, e canhões de bases giratórias (já de ferro) super modernos, fez em frangalhos os navios chineses, que nessa época pareciam inferiores àqueles de 400 anos atrás; e o saldo foi  a captura do porto de Hong Kong, quando em 1841 foi hasteada a bandeira britânica.

 

                                                               

(Yi Chan:.)

( 義成 )

 

Compartilhar

Sobre o Autor

admin

(0) Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *