Política Slideshow — 24 agosto 2013

” No Império Britânico o sol nunca se põe ! “

Essa frase já era dita, quando o Rei George III deliberou ao Secretário do Home Office  Henry Dundas, para agir comercialmente na China.

(Por/Yi Chan)

Na esperança de abrir um canal diplomático e comercial com o povo chinês

Macartney, diplomacia e experiencia internacional

Entre os anos 1793/94, o secretário  do Home Office britânico Henry Dundas, idealizou as instruções que deveriam ser capitaneadas pelo experiente diplomata Lord George Macartney, na China.

Conforme alguns registros em documentos chineses, os britânicos eram ofendidos sem nenhuma cerimônia; os ingleses com seus instintos de guerreiros conquistadores, não aceitavam a alcunha de “bárbaros de cabelos vermelhos” a Inglaterra e seus guerreiros já percebiam que a China não tinha nenhuma condições de se sair bem num confronto naval com os britânicos, que na época, eram a maior potencia comercial e naval do Ocidente, enquanto o exército chinês ainda usava arco e flecha.

Desde a dinastia Ming (1405 e 1433) quando o Imperador estabeleceu uma das mais notáveis aventuras navais de que se tem notícias, sobre o comando do almirante 郑和 Zheng He e suas frotas de navios do tesouro, a China deixou de lado sua força naval e continuou  acreditando, ser ainda o centro do mundo 中国 Zhongguo ( nação central).

Com o domínio da Inglaterra estabelecido sobre a Índia, os ingleses sabiam que tinham muito poder comercial e naval, mesmo assim, procurou estabelecer um diálogo em igualdade de condições com o povo chinês, dito como o povo mais singular do mundo.

Segundo historiadores, a missão Macartney chegou à China com objetivos modestos. O principal objetivo era estabelecer embaixadas reciprocas; em Pequim ( Beijing   北京 ) e Londres, Macartney também proporia mais liberdade comercial entre ao longo da costa chinesa; e que eles fossem mais solidários quanto ao comércio, que em Guangzhou era arbitrário e desencorajador, o que impossibilitava os ingleses de competir.

Lord Macartney tinha como missão evitar confronto bélico, e negar quaisquer ambições no território chinês além do comércio; nem mesmo poderia pronunciar tais palavras para evitar especulação e dúvidas que poderia gerar mal-entendidos.

(Vale apena enfatizar essa parte da história entre as duas nações, que culminou em confronto dos extremos).

Os britânicos queriam tratar os mandatários chineses em igualdade de condições, mesmo que muitos (na Inglaterra) achar que não deveriam dar tantas asas para China, o que só era comum aos países do Ocidente. Por sua vez os chineses achavam  que quaisquer países que viessem propor algo ao Filho do Céu (天子; Tian Zi ) estes seriam países insolentes e insubordinados.

Vejam; Marcartney levara saudações do rei George III à nação mais antiga e mais populosa do mundo, com respeito e sem reservas, e propor uma amizade benéfica para ambos; respeitar as autoridades chinesas com a maior simpatia e delicadeza.

A  missão de  Lord George Macartney, queria impressionar os chineses com uma nova tecnologia já em uso no Ocidente, como exemplo resumido, trouxe consigo; produtos da engenharia, da ciência, médico, dentista, músicos (esses da Alemanha); seriam todas essas coisas para impressionar e mostrar que trariam benefícios incalculáveis para China, inclusive peças de artilharia, carruagem, relógios, queriam realmente que o Imperador ficasse deslumbrado com a tecnologia e a beleza dos produtos ingleses; por fim, um Quadro (retrato) do rei e da rainha; não faltou nada mais para impressionar, foram tantas coisas que não carece mais comentários.

Almirante Zheng He

Desapontado, Macartney percebeu que os seus anfitriões nem se quer deram atenção aos presentes, nem mesmo aos feitos modernos, que deixavam a China na lanterna tecnológica.

(Na verdade, a China já não queria negociar com niguem que não fizesse o pagamento  ao menos uma parte em Prata, que na época eles estavam dando tanto valor quanto o ouro).

Eles insistiam que os britânicos eram arrogantes e desinformado, estariam pedindo favor ao  Filho do Céu (天子Tian Zi ). A  China , mesmo com um PIB 7 vezes maior que o da Inglaterra, não se dava contas de que sua população estava passando sérias necessidades por falta de alimentos devido a sua agricultura ser de baixa produtividade e a burocracia milenar incompatível com a época.

Dizendo ser os donos do mundo, os mandarins acercaram-se de Macartney e preguntaram se ele faria O Kowtow* o que foi refutado de imediato, os britânicos fariam somente a reverencia costumeira ao seu soberano (Rei George III).  Os Mandarins disseram: Ou faz ou volta “com uma mão na frente e outra atrás” .

A burocracia chinesa e seus “mestres” adivertiam que, quaisquer gestos e/ou palavras seriam registradas e bem lembradas. Após muito vai e vem definitivamente irritantes, e com a concordância de Macartney apenas dobrar o joelho perante o Imperador, finalmente ele deverá ser recebido pelo Filho do Céu (天子; Tian Zi ).

Todas as novidades trazidas da Europa, presenteadas ao Imperador, foram desdenhadas, até a demonstração com canhões, fingiram não ter importância etc.

O tempo passava e os chineses levavam tudo em banho-maria, banquetes, mais banquetes, e discussões de como seria o protocolo de Macartyney  com Imperador; lá se vai um mês e meio…

Lidar com bárbaros: Corrompê-los, presenteá-los até achinesá-los 

Em fim, por volta das quatro horas da manhã o embaixador foi acordado, e convocado para o tão esperado encontro com o Filho do Céu (天子; Tian Zi ).

O encontro com o Imperador será numa linda tenda decorada, deslumbrante; então o Imperador chega carregado num palanquim (uma espécie de cadeira luxuosa com adornos), como se fosse hoje uma limusine.

Kowtow

Começada a cerimônia, o Imperador procurou impressionar ao máximo os “convidados” com a melhor comida, bebida e presentes, tudo envolto num ritual silencioso como se fosse igual uma peça teatral misteriosa e  religiosa, e o fato de o Imperador pessoalmente servir do seu vinho em sua mesa a estrangeiros, historicamente dizia-se que era um dos cinco “chamariz para lidar com bárbaros”, costume antigo desde a dinastia Han (Dinastia Han foi uma dinastia chinesa, que durou de 206 a.C. até 220 d.C.; precedida pela Dinastia Qin de onde originou o nome China, para os ocidentais).

Lidar com bárbaros, era trata-los bem, corrompê-los com comidas, lazer, presentes e fazê-los achinesar-se; igual fizeram com Gengis Khan, só Gengis Khan ficou tão  achinesado que deu o troco.

Terminada a cerimônia nada de negócios com o embaixador Macartney.

Conforme relatos, no outro dia o embaixador foi convidado para comemorar o aniversário do Imperador, quando Macartney foi levado para o seu camarote, e Macartney achou que desta vez o  Filho do Céu (天子;Tian Zi ) faria os negócios com a comitiva do Rei George III, ledo engano; o Imperador presenteou Macartney com uma caixa de pedras preciosas e outros souvenires,(chamariz para lidar com bárbaros).

Decepção:

A seguir, não haverá mais contatos com o Imperador, e sim, com os Mandarins e outros funcionários do alto e médio escalão; eles alertam o embaixador Macartney que o inverno será rigoroso, por isso, toda comitiva britânica deve partir; houve muito protesto; como? ainda não fizemos nenhum negócio …

Na manhã do dia 3 de outubro de 1793, um mandarim em traje de gala acordou Macartney  e o levou a Cidade proibida; lá ele receberia a resposta para os seus pedidos. Em uma determinada sala, ao invés do Imperador estava sobre uma poltrona muito bonita forrada com tecido de seda, uma carta; os Mandarins fizeram o Kowtow para a carta; Macartney dobrou o joelho, levaram a carta aos aposentos de Macartney com tantas cerimônias, como se dentro dela estivesse a alma do Imperador, a carta estava aos cuidados do rei George III, com a mais profunda humilhação que a diplomacia britânica já recebeu em toda história, como resposta de uma proposta  de negócios e amizade.

Conteúdo da carta:

Macartney

“A respeitosa humildade do Rei George em enviar uma missão diplomática à China”

Vós, ó Rei, viveis além dos confins de muitos oceanos, entretanto, impelido por vosso humilde desejo de compartilhar dos benefícios do nossa civilização, despachastes uma missão respeitosamente portando vosso memorial.

Quanto a vossa solicitação de enviar um de seus conterrâneos para ser acolhido em minha Corte Celestial e ficar no controle do comércio de vosso país com a China, esse pedido é contrário a todos os costumes de minha dinastia e não pode de modo algum ser cogitado…{Ser-lhe-ia impossível} permitir liberdade de movimento e o privilégio de corresponder com seu país natal; de modo que vossa alteza proveito algum extrairia de tê-lo residindo em nosso meio.

“Sobre a China manter uma embaixada em Londres”

Suponho que eu enviasse um embaixador para residir em vosso país, como vós poderíeis de algum modo providenciar para ele os necessários arranjos?

A Europa consiste de muitas outras nações além da vossa: se cada uma e todas elas exigissem serem representadas em nossa Corte, como poderíamos de algum modo consentir? a coisa é inteiramente impraticável. Etc.

O Imperador estava certo de que os Ingleses queriam adquirir a civilização chinesa, e diz ainda: se ordenei que as oferendas por vós enviadas como

HMS Victory; Lançado em 1765 é o mais antigo navio de guerra do mundo ainda em comissão e o único navio de linha sobrevivente

Tributos, ó Rei fossem aceitas, foi somente em consideração pelo espírito que vos impeliu a despachá-las de tão longe.

A Inglaterra nada tem a oferecer que a China quer, e a China já concedera à Inglaterra tudo que seus divinos regulamentos permitiam.

(Quando da volta de Macartney) a China advertia a Inglaterra com ameaças:

O Imperador assegura ao Rei George III, que estava consciente da “localização solitária e remota de vossa ilha separada do mundo por uma vastidão de oceano”. Mas a capital chinesa era “o eixo e o centro em torno do qual todos os cantos do mundo giravam… Os súditos de nossos protetorados nunca receberam permissão de abrir locais para negociar em Pequim”. Portanto estamos conversados, doravante para sempre, para que possamos manter a paz.

A resposta dos ingleses…

Os próximos passo da Inglaterra foram: em em 1816, 1834 quando os ingleses notaram que Hong Kong um afloramento rochoso esparsamente povoado seria um excelente porto; poucos anos mais tarde, depois de destroçar os barcos chineses, em 1841 foi hasteada a bandeira britânica; e a China ainda teve que pagar multas devido as despesas de guerra.

 

Yí Chan

 

 

 

 

 

Edit./Yi Chan

* Kowtow: reverência que consiste em tocar a testa no chão por três vezes perante o Imperador ou ao seu representante, aceitando a condição de vassalo; jurando fidelidade ao nobre superior.

Saiba mais  em Link:Esquadra de Zheng He – “Convite ao Kowtow

(Ver mais detalhes no Henry Kissinger “Sobre a China”)

 

 

 

 

 

Compartilhar

Sobre o Autor

admin

(0) Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*



Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>