Religião Slideshow — 06 agosto 2016

templarios_06

 

Imediatamente à primeira Cruzada, por volta do ano 1096 em Jerusalém, um pequeno grupo de militares formaram uma Ordem Religiosa de nome “Pobres Cavaleiros de Cristo e do Templo de Salomão” cujo principal objetivo era o de proteger os peregrinos que visitavam a Terra Santa, e em seu caminho eram saqueados e até mortos.

Depois de algumas batalhas e várias escaramuças contra grupos de saqueadores, tudo o que se tratavam de segurança naquela parte do mundo haviam de ter a proteção dos “Pobres Cavaleiros de Cristo”.

Entre o povo haviam indagações tais como: Onde eles moram onde se reúnem?

Tudo que alguns deles sabiam era que se reuniam na área do Templo de Salomão, e fizeram daquele local a sua base estabelecida.

Filipe IV ; o Belo

Não haviam outros meios de acomodações; e as condições de vida que eles se auto-impuseram e que haveriam de seguir por suas condições de pobreza e de castidade somente para servir a Jesus Cristo; aquele local sem dúvidas, foi o mais adequado.

“Então; eles são os Cavaleiros do Templo, os Templários, Os Cavaleiros Templários - Os Templários formaram uma fabulosa e temida força militar, e seus futuros membros passavam por um Ritual de Iniciação o que sacramentava a sua lealdade para com a “Ordem dos Templários”.

Por esse motivo tiveram muitas empreitadas, as quais lhes renderam fabulosas somas e propriedades, que foram acumuladas devido a vida simples e regradas que levavam; mesmo assim, boatos de que eles haviam encontrado tesouros e não comunicado ao seu rei, não cessavam entra a população e a Igreja.

Só que, onde há dinheiro há sempre alguém de olho grande, uns  procurando empréstimos, e outros querendo levar alguma vantagem.

Sempre foi assim; e assim sendo, para atender a demanda crescentea Ordem dos Templários,      desenvolveram  gradualmente  um sistema de empréstimos e de remessas de títulos de valores.

Com a garantia da Ordem dos Templários tudo ficava mais fácil, e o sistema bancário que ainda não existira foi ganhando forma; e assim, nascia o precursor do Traveller Cheque.

No começo, a Ordem contava com o apoio da Igreja e do Estado; a Igreja, através do Papa Clemente V;  e o Estado através do Rei  Filipe IV da França, cujo o apelido era Filipe o Belo.

Os dois gastavam muito e começaram desejar a fortuna que a Ordem do Templo havia acumulado, e então deram início a uma trama para consegui-la.
 Por mais forte que fosse qualquer entidade naquela época, jamais alguém seria páreo para as armadilhas e as sórdidas calúnias que a Ordem do Templo haveria de enfrentar.
Acostumados com o bom relacionamento entre a Igreja e o Estado, os Templários nem se deram contas de que a bajulação que o Rei e o Papa estavam mantendo com eles daria numa terrível guinada desfavorável à Ordem do Templo e seus Cavaleiros.

Um beco sem saída –  O Estado gastou muito; pediu tantos empréstimos e não tinha nenhuma  intenção de pagar.

A Igreja não pediu tanto, porém revogaria o tratado que isentava os Cavaleiros Templários de pagar taxas à Igreja

Papa Cemente V

Papa Clemente V

Católica, o que deixariam os Cavaleiros numa situação muito difícil.

As coisas estavam realmente se complicando e se encaminhando para uma situação muito séria; porém seria só o começo !

Finalmente; decididos a não pagar as dívidas com a Ordem dos Templários,  o Rei Filipe IV (Filipe o Belo) e o Papa Clemente V ,  procuram desmoralizar os Templários acusando-os de heresia, de urinar na Cruz de Cristo e de, homossexualismo, o que a “Igreja condenava” com a pena de morte.

 

 Por sua vez não adiantavam os Templários desmentir, que logo estavam postas outras acusações.
Quando a Ordem do Templo tentou provar que não eram verdade as acusações, os seus acusadores foram mais fundo e fizeram todos acreditarem que eles adoravam e cultuavam o Bode de Mendes; Baphomet, e para o qual faziam rituais satânicos.
Diante de tantas calúnias e difamação perante a sociedade e aos seguidores da Igreja, ficou claro que o fim estava próximo.
A seguir, prisões aconteceram e o Estado se apoderou da fortuna que ainda restava entre os Templários.
Os que não fugiram foram presos e acusados de conspiração conta o Estado e a Igreja; tiveram todos os bens confiscados, e finalmente a morte na fogueira da inquisição.
Mais tarde, depois de ser julgado pelo “Tribunal do Santo Ofício da Inquisição“, seguindo as regras que mandaram  para o calabouço  a maioria dos Cavaleiros Templários, o seu mais importante líder Jacques de Molay também foi preso e consumido pelo fogo.
Enquanto ardia em chamas, Jacques de Moley  gritava em voz alta os castigos que seus principais acusadores (Filipe o Belo; e o Papa Clemente V; e o Cavaleiro Guilherme de Nogaret)  haveriam de sofrer.
(Veja no final dessa pagina a praga; o castigo que Jacques de Moley lança sobre seus acusadores.)
 

B A P H O M E T

O Bode de Mendes - Qual é o motivo pelo qual a maioria das pessoas se arrepiam  quando olham para essa figura andrógena com

O Baphomet a Baphomet.

aparência de um bode-humano ou uma cabra-humana com seus longos chifres, fartos seios, e longo falo; que posa no trono como um rei ou rainha? Cada um pode dar sua definição.

 Esses imaginários são as maneiras das pessoas enxergarem  o que a suas mentes projetam; algumas até acham engraçado e um tanto quanto carnavalesco; outras acham demoníaco.

Isso não é diabo, também não é bode, nem tampouco é gente, é apenas uma alegoria para os conceitos filosóficos em busca de algum sentido oculto da imagem projetada em sua mente, porquanto a pessoa procurará nela respostas esotéricas afim de uma acensão espiritual, talvez.

Em cada época pretendem dar uma nova maneira de explicar uma figura havida no antigo Egito; a figura em questão por exemplo, deve-se elaboração pelo Mestre Ocultista Eliphas Levi, que utiliza essa ilustração em sua excelente obra,  Moral e Dogma.

Hoje “nós vivemo na Idade da Razão” seculo XXI;  já estamos entrando na ”Era de Aquário” portanto não devemos fazer pouco caso daquilo que há milênios pessoas acreditaram ou ainda acreditam; porém temos o dever de esclarecer aos que ficaram atados ao passado dos mitos da antiguidade e dos atuais farsantes enganadores.

Pois, se ficarmos de cabeça voltada para o passado quando acreditavam em mula sem cabeça, em pé-grande, em lobisomem etc. de que adiantaria nossa passagem por esse planeta sem que pudéssemos dar um outro enfoque a determinados mitos e suas fábulas ?

Porque descrevem os diabos com  ”olhos vermelhos”, chifres, capa vermelha e ponta de seta na cauda , e alguns ainda empunhando  um tridente?

Essas figuras são nada mais do que reproduções por imaginações daquelas do antigo Egito, como já frisei, só que com novas aparências, e agora como diabo da Era Cristã que é a representação do mal.

A Igreja para completar suas explicações, achou que o diabo deveria ter uma figura bem assustadora como “o representante do Inimigo” .

É uma sequência de monstros como a Esfinge de Tebas do contos  “Oráculo de Delfos” , e outras do antigo Egito que vão ganhando novas conotações e novos visuais dependendo de cada povo e em cada época.

  Com tantas crenças absurdas foi muito fácil colocar a população contra os Pobres Cavaleiros de Cristo;

O que é que você tá olhando hein?

Voltado ao padecimento dos Templários:

Ficou claro que o Papa Clemente V, como todos os seus antecessores e sucessores, não tendo argumentos nobres para que seus rebanho ficassem sob seus controles então; procuraram assustar os pobres mortais com o castigos que suas almas sofreriam na eternidade por haverem adorado o diabo, o bode, a cabra-preta, o baphomet !

Todos aqueles que ficassem do lado dos Templários seriam amaldiçoados e punidos da mesma forma.

 

O Bode de Mendes  -  Baphomet -  ”para o povo que não é cristão” a figura do tal diabo é

BAPHOMET

totalmente diferente daquele desenho clássico dos olhos vermelhos, capa vermelha longos cornos, e seta na cauda.

Em culturas orientais a aparência do diabo é alguma coisa semelhante um jacaré, um dinossauro, “um dragão com pose agressiva” etc. ou seja; uma figura que não e bonita de se olhar, a encarnação do mal; aquele que é o oponente do bem, apenas isso !

Baphomet na verdade, é uma composição hieroglífica maculada  de simbolismos.

Em magia hermética, o bode representa o fogo e é, ao mesmo tempo, o símbolo da geração.

A explicação de Eliphas Levi é detalhada: O bode trás na fronte o signo do pentagrama, com a ponta para cima, o que é suficiente para fazer dele um símbolo de luz, faz com as mãos o sinal do ocultismo.

O facho da inteligência que brilha entre seus chifres é a luz mágica do equilíbrio universal.

A cabeça monstruosa do animal exprime o horror que há no pecado –  o caduceu, que está no lugar do órgão gerador, é justamente para  representar a imortalidade.

Olhando por esse lado não deveriam ver nenhuma entidade maligna; mas, a Igreja e seus lideres procuraram maneiras de acusar qualquer ser que não olhasse o mundo e a vida da maneira desejada por Ela, o que seria uma afronta  à sua doutrina.

Porém;  como já foi dito, os que não queriam pagar as dividas  assumidas com a Ordem do Templo, passaram a acusá-la de heresia afim de se apoderarem dos seus bens e ainda, dando vazão ao próprio espirito satânico que certamente habitava naquelas pessoas, para  que pudessem cometer tremendos assassinatos dos defensores da Ordem.

 

A Maldição lançada por Jacques DeMolayuntitled

No momento em que era amarrado no pelourinho, DeMolay gritava: ” – Vergonha! Vergonha! Vós estais vendo morrer inocentes.

Vergonha sobre vós todos”. –  Enquanto DeMolay queimava na fogueira, ele disse suas últimas palavras:
“- Nekan, Adonai!!! Papa Clemente… Cavaleiro Guilherme de Nogaret… Rei Filipe; Intimo-os a comparecerem perante o Tribunal do Juiz de todos nós dentro de um ano para receberdes o seu julgamento e o justo castigo.
Malditos! Malditos! Todos malditos até a décima terceira geração de suas raças!!! Após essas palavras, Jacques DeMolay, inclinou a cabeça sobre o ombro e entregou sua alma ao Pai Celestial.
Do Palácio Real, Filipe assistia a morte de DeMolay e ouvira suas palavras. Ficou em silêncio mas bastante assustado.
Mais tarde comentou com Nogaret: “Cometi um erro, devia ter mandado arrancar a língua de DeMolay antes de queimá-lo.
” Quarenta dias depois, Filipe e Nogaret recebem uma mensagem: “O Papa Clemente V,  morrera em Roquemaure na madrugada de 19 para 20 de abril, por causa de uma infecção intestinal”,
Filipe e Nogaret olharam-se e empalideceram –  o Rei Filipe IV, o Belo, faleceu em 29 de novembro de 1314, com 46 anos de idade, quando caiu de um cavalo durante uma caçada em Fountainebleau.
Guilherme de Nogaret acabou falecendo numa manhã da terceira semana de dezembro, envenenado. Após a morte de Filipe, a sua dinastia, que governava a França a mais de 3 séculos, foi perdendo a força e o prestígio.
Junto a isso veio a Peste Negra e a Guerra dos Cem Anos, a qual tirou a dinastia dos Capetos do poder, passando para a dinastia dos Valois.
Hoje tomamos Jacques DeMolay como símbolo de lealdade e tolerância e lembramos dos seus feitos de coragem, homenageando-o, colocando o seu nome em nossa Ordem.
   Ref:. Contos hermético.budè:.                                                                                                                                                                                                                                                                                                    Os Templarios, Edit.Medieval
(J.Coutinho:.)

Compartilhar

Sobre o Autor

admin

(0) Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*



Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>