Política — 11 fevereiro 2013

Reuters:

Bento 16, durante a celebração da missa de fim de ano (31/12/2012)


Bento 16, durante a celebração da missa de fim de ano (31/12/2012)
Reuters.

“Depois de fazer um repetido exame da minha consciência diante de Deus, eu tive a certeza que minhas forças, devido à minha idade avançada, não são mais adequadas para exercer o ministério petrino”, disse aos cardeais. “Estou bem consciente de que este ministério, pela sua essência espiritual, deve ser cumprido não só com as obras e com as palavras, mas também e igualmente sofrendo e rezando.”

“Entretanto, no mundo de hoje, sujeito a tantas mudanças rápidas e e agitado por questões de grande relevância para a vida da fé, para governar a barca de São Pedro e proclamar o Evangelho, é necessário o vigor tanto da mente quanto do corpo – vigor este, que, nos últimos meses, foi diminuindo de tal modo em mim que tenho de reconhecer a minha incapacidade para administrar bem o ministério que me foi confiado.”

Bento 16, 85 anos, se tornou papa em 2005, após a morte de João Paulo 2º. Esse é o primeiro caso de renúncia no papado em quase 600 anos. O último papa a renunciar foi Gregório 12, que se retirou do cargo em 1415 em um acordo para colocar fim ao Grande Cisma do Ocidente.

A decisão abre caminho para a realização de um conclave que elegerá um novo papa antes do final de março. Bento 16 caracterizou sua escolha como “uma decisão de grande importância para a vida da igreja”.

Os seus possíveis sucessores incluem o cardeal Angelo Scola, arcebispo de Milão, o cardeal Cristoph Schoenborn, arcebispo de Viena, e o cardeal Mar Ouellet, cardeal chefe do gabinete de bispos do Vaticano.

Todos os cardeais com idade inferior a 80 anos podem votar no conclave, a reunião secreta que ocorre na Capela Sistina, onde os cardeais realizam a eleição do novo papa. Como tradição, as cédulas são queimadas; quando sai fumaça preta da chaminé significa que nenhum papa foi escolhido e quando sai fumaça branca significa que um novo papa foi eleito.

A renúncia é permitida no papado; as leis especificam somente que a renúncia deve ser “feita livremente e manifestada apropriadamente”.

Bento 16 já havia alertado para a possibilidade de renunciar se ele estivesse doente ou velho demais para continuar no cargo em 2010, quando foi entrevistado no livro Luz do Mundo (tradução livre).

“Se um papa percebe claramente que não tem mais condições físicas, psicológicas e espirituais de encarregar-se dos deveres de seu cargo, ele tem o direito e, sob certas circunstâncias, a obrigação de renunciar”, disse.

Aos 78 anos, o cardeal Joseph Ratzinger foi um dos papas eleitos com idade mais avançada. Ele assumiu quando a Igreja Católica passava por uma de suas maiores crises – acusações de abuso sexual contra crianças envolvendo padres.

Papa Bento XVI, nascido Joseph Alois Ratzinger, é o Papa de Roma desde o dia 19 de Abril de 2005. Foi eleito como o 265º Papa com a idade de 78 anos e três dias, sendo o atual Sumo Pontífice da Igreja Católica.

http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/

http://www.grandeponto.com.br/

Reuters./Edit./J.Coutinho

Compartilhar

Sobre o Autor

admin

(0) Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*



Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>